segunda-feira, 11 de agosto de 2014

JUDA$


Para quem não sabe, hoje a minha rede social virtual preferida é o Recanto das Letras. Este é um espaço aonde podemos nos expressar via poesia, frases, pensamentos... Etc. Onde pessoas do mundo inteiro tem acesso aos seus escritos e fazem comentários no que acreditam ser pertinente. É uma rede muito boa e gostosa de estar, pois ali é expresso o melhor ou pior de cada um através da arte da escrita. Lá me sinto muito mais à vontade do que em outras redes, virtuais ou não. Conheci este recanto dos poetas, através do meu amigo Fernando Souza, que hoje escreve o blog "Amargura Latente".

E para quem também ainda não sabe, foi através de um texto meu, postado lá no recanto, que fui convidado para participar de uma coletânea de poesias com poetas do Brasil todo. O livro se chama “Poesia e Arte”, edição 67 de 2014. Caso tenha interesse em adquiri-lo, entre em contato!

Enfim, sem mais delongas, certo dia, estava navegando por lá, quando li um pensamento sobre as pessoas que traem. O autor expressava que sentia ojeriza daqueles que cometem tal ato contra outra pessoa. Lendo aquilo, comecei a pensar que todos nós traímos.

Calma, não estou assumindo e nem dizendo que você fez algo, apenas quero trazer a reflexão de que todos nós traímos ou trairemos. Seja em pensamento ou em ação. Seja pessoalmente ou virtualmente. Seja o próximo ou a si mesmo. A começar de mim, para variar, precisamos nos desarmar e pensar: é verdade... Ou se dar ao menos a oportunidade de pensar: Em que eu já traí?

Talvez tenha sido algum principio. Acredito que quando precisamos mentir traímos a verdade, a nossa verdade. E o pior é isso. Trair a si mesmo. Quando isso é feito a outrem, você pode se esconder, omitir... Mas quando o negócio é consigo mesmo, não tem para onde fugir!

Por favor, não estou fazendo apologia a traição, quero apenas expandir a visão, pois este termo é muito mais abrangente e como toda e qualquer generalização é perigosa, não quero ser generalista.

Judas ficou conhecido como o homem que traiu Jesus por apenas 30 moedas de prata. O que lhe acarretou grande arrependimento, ou melhor, dizer, remorso, pois da mesma forma que ele traiu Jesus, Pedro outro discípulo, o negou, sendo que Pedro chorou amargamente de arrependimento, mas Judas, perturbado com o que tinha feito, se matou.

E por causa deste acontecimento, hoje quando alguém comete uma traição, logo é chamado de Judas. Interessante este fato, pois imagine se o nome dele fosse José, João, Joaquim, ou tivesse o seu nome? Você gostaria que seu nome fosse esse? Que tivesse alusão à traição? Não, né?

Para finalizar, que tal aquele velho clichê: “Quando apontamos o dedo para alguém, não podemos esquecer que tem três apontados para nós!”

Então, se Judas é sinônimo de traidor: I'm Judas. You are Judas. We are Judas!

3 comentários: