quinta-feira, 1 de janeiro de 2015

2015 [ + 1 Forasteiro ]

Que assim como foi o ano de 2014, que o novo ano de 2015, que se inicia hoje, seja mais um forasteiro, que venha nos livrar de toda monotonia!



"Ninguém falou que eu podia
Nem me indicou ponte ou guia
Vento animou vim na ventania



Como cheguei não sei explicar
Não planejei tão oposto olhar
Que me salvou da monotonia


Um forasteiro de mim, eu espero o sim
Até encontrar
Uma centelha de fim
Recomeço, assim
Vida a clarear

Não vou negar tudo e meu amor vai me despir se preciso for
Em toda dor, outra melodia




Nenhum comentário:

Postar um comentário