terça-feira, 26 de maio de 2015

A Prostituta

Ela é como qualquer outra mulher. Ora menina, ora madura e responsável, mas não deixa de ser mulher. Ela adquiriu a habilidade de se relacionar sem se envolver. Sabe o que tem que fazer. Ela é profissional. O que os seus clientes não sabem sobre ela, é que ela tem um coração, que bate, chora e sangra. Mesmo sobre toda a sua fachada e debaixo das muitas camadas de maquiagem. Alguns dizem que ela faz isso porque gosta, outros por falta de vergonha na cara, mesmo que algumas existam pelos motivos elencados acima, ela escolheu este caminho por não ver outra saída. Há quem a julgue. Há quem a culpe. Eu, não mais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário