segunda-feira, 13 de julho de 2015

O compromisso

O menino tinha uma namorada. Para sair com ela, ele parecia sempre reticente. Certo dia, eles combinaram de fazerem um passeio ao ar livre. Mas perto da hora do encontro, o menino liga para a menina e diz querer marcar para mais tarde, pois ainda não estava pronto. A menina tentando ser sábia em suas palavras, pergunta a ele o porquê disso, ao invés de dar uma resposta plausível, ele decide permanecer no combinado.

Depois de algum tempo de atraso, o menino vai até o encontro da menina, que por sua vez estava plantada o esperando, mas produzida, pois se preparou para aquele momento. O combinado então foi desfeito. O passeio foi ao ar livre, no entanto, em vias distintas. Durante o aguardado passeio, ele vira para ela e diz que está muito cansado e que irá embora cedo. Ele falou sem pensar no tempo que ela levou para chegar até ali e o quanto esperou por aquele momento.

No geral, o passeio foi muito bom, só que para ela, as coisas nunca acabam quando ele pensa que sim, quando o último beijo é dado selando a noite. Eu acredito que ela seja bem detalhista e se apegue demais as coisas que ele nem se importa. Chegando em suas casas já tarde da noite, eles trocam o que ela pensa serem suas últimas mensagens do dia, no entanto, ele que estava cansado, se mostrou animado em demasia na programação de um passeio com seus amigos daqui a cinco dias.

O observador, que aqui vos escreve, deixa a seguinte questão:
Ela tem alguma razão para ficar chateada?

2 comentários: