terça-feira, 1 de setembro de 2015

Por hora...



Das palavras doces que me falastes,
Das ausentes que me deixastes,
Todas, eu guardei.

Tento separá-las, mas juntas elas insistem em ficar.
Fazendo-me ora amar,
Ora prefiro nem lembrar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário