segunda-feira, 12 de outubro de 2015

Linha Vermelha


Quando cruzo a linha vermelha, é inevitável não me lembrar. Não pensar em quanto tempo eu me vi gastar. Não que eu esteja reclamando, porque investindo era o que estava. Mas você não soube me amar. E não adianta reclamar, pois pode ser que era eu quem não sabia de verdade amar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário