quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Via de duas mãos



A vida é mesmo assim
Uma via sem fim
Reações em cadeia
Desencadeiam mil reações

Uma folha de papel tem dois lados
Como costume, usamos apenas um de seus lados
Esquecemos que existe um outro cheio de espaço vazio
Pronto para ser preenchido

A vida é mesmo uma via de duas mãos
Um dia você distribuí
Outro você retém
Ora as coisas vêm
Ora as coisas vão

Mas quem vai ficar?
Quem vai segurar?
Quem vai esperar?
Quem quer permanecer?

O discurso não tem sido coerente
Posso estar sendo injusto
Mas não tenho obtido retorno do outro lado
Para saber quem é que está errando

Nenhum comentário:

Postar um comentário