quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Síndrome de 'Baby Sauro'

Não importa a hora. É de manhã, de tarde e também de noite. O que se ouve sair das palavras digitadas por seus dedos pelas redes sociais da vida são seus lamentos.

Pergunta para um amigo: Tem um minuto?

Se este diz sim, senta que lá vem história.

Ele não precisou consultar os médicos para descobrir o que tem. Conseguiu descobrir sozinho que possui a "Síndrome de Baby Sauro".


- Oi. Eu sou o Baby. Você precisa me amar.

- Ok. Eu te amo.

- Não. Não é a mamãe... De novo. De novo!!!


* Este post foi publicado originalmente no bar da Graça, em fevereiro de 2014.
O mesmo, foi extraído de um trecho do conto ELE/ELA.

Um comentário: