sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Eu não sou obrigado, mas obrigo...




Você provavelmente já deve ter ouvido a seguinte frase: "Eu não sou obrigado a nada!" . Embora você não seja obrigado a saber de sua fama, segue abaixo o vídeo que a tornou um jargão popular:



É uma grande verdade. Pois não somos obrigados a nada, mas sempre tendemos a obrigar as pessoas a fazerem o que queremos. Somos tardios em obedecer o que nos obrigam a fazer. Obrigação é diferente de dever, ou fazer por prazer. Algumas pessoas são consideradas como trouxas por fazerem algo para outras, mas se elas assim o fazem por prazer, qual é o problema?

Enfim, tenho aprendido que as coisas feitas por obrigação são péssimas, tanto para o que obriga alguém a fazer algo, quanto para a pessoa que é obrigada a atender as suas vontades descabidas. Mesmo sabendo disso, ainda tropeçamos nisso.

Como o intuito desse diário pessoal público é de tentar ser, estar, parecer, permanecer, ficar e continuar melhor do que foi tentado ontem, assim prossigo. Tropeçando, caindo, errando, mas levantando e tentando novamente. Prosseguir sempre. Desistir, nunca!

Nenhum comentário:

Postar um comentário