domingo, 16 de fevereiro de 2014

Convertido ou Convencido?




























A questão acima tem me feito refletir muito sobre a minha vida. Ao invés de olhar para alguém que age de uma forma diferente da que eu acredito e simplesmente julgá-la, faço o que o texto de 1 Coríntios 10 nos instrue a examinarmos a nós mesmos. Fazendo isso e pensando nesta questão, reflito sobre o que vejo quando olho no espelho.

Ser ou não ser, eis a questão?
- Hamlet, de William Shakespeare

Certa ocasião, Deus permitiu que Jó, um homem justo e íntegro, passasse por aflições. A Bíblia diz que Jó era temente a Deus, cumpridor da lei, e mesmo assim, passou por uma dura experiência. O que aconteceu depois? A Bíblia diz que Jó passou a conhecer verdadeiramente a Deus!

Outra história que me chama a atenção é a de Paulo. Neste outro caso, um homem chamado Saulo perseguia os cristãos, até que teve um encontro com Jesus. Deus permite que ele ficasse cego por um tempo, mas depois, Deus o curou. Após esta experiência extraordinária com Deus, Saulo não poderia ser o mesmo homem: mudou suas atitudes, mudou até de nome.

Estes dois exemplos servem para nos mostrar o que realmente significa se converter. Mudança radical de vida. Abaixo, segue o texto de Lucas 3.7-17, na versão a Mensagem, para reflexão:

"Multidões vieram à procura do batismo, apenas porque parecia ter virado moda, e João esbravejou: “Raça de serpentes! O que pretendem, rastejando até o rio? Acham que um pouco de água nessa pele de cobra vai fazer alguma diferença? É a vida de vocês que precisa mudar, não a pele! E não pensem que podem melhorar a situação invocando Abraão como pai. Ser descendente de Abraão não ajuda nesse caso. Os descendentes de Abraão são muitos. Mas até destas pedras Deus pode fazer descendentes de Abraão. O que conta mesmo é a vida. A vida de vocês mostra frutos? Se estiver como madeira morta, só serve para o fogo”.

A multidão lhe perguntou: “O que devemos fazer, então?” “Quem tiver duas mudas de roupa dê uma para alguém”, ele disse, “e façam o mesmo com a comida”. Alguns cobradores de impostos também queriam ser batizados e perguntaram: “Mestre, o que devemos fazer?” Ele respondeu: “Nada de extorsão. Cobrem apenas o que a lei exige”. A pergunta dos soldados foi: “E nós, o que devemos fazer?” Ele respondeu: “Nada de violência nem de chantagens, e estejam satisfeitos com o salário de vocês”.

O povo, então, começou a prestar mais atenção ao pregador. Eles se perguntavam: “Será que João é o Messias?”

João não deu resposta às indagações deles: “Eu batizo vocês aqui no rio. O protagonista desse drama, perante o qual sou apenas um figurante, acenderá a vida do Reino em vocês, um fogo interior, o Espírito Santo dentro de vocês, operando a mudança de dentro para fora. Ele vai limpar a casa. Fará uma varredura completa na vida de vocês. Tudo que for autêntico será posto no lugar certo, na presença de Deus; o que for contrário à verdade será jogado fora com o lixo, para ser queimado”.


Um comentário:

  1. Ótima reflexão, Zhé! Conversão precisa de metanoia, mudança de mente e atitude! E esse é um processo diário! ;D

    ResponderExcluir