quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Eu só queria...

 

"Queria uma companhia.

Que fosse minha amiga.

Que fosse parecida.

Que fosse atrevida.

Que deitasse na grama, olhasse para o céu e me ajudasse a contar estrelas.

Eu só queria uma companhia.

De uma alma menina que brinca arteira como uma criança."

Assistindo "Cartas para Julieta"

segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

Graça


domingo, 23 de fevereiro de 2014

Conselho da Dory, em 'Procurando Remo', digo "Nemo"

Não há dúvidas que diariamente somos levados a sair de nossa zona de conforto. Zona de conforto é aquele lugar que chamamos de nosso, que conhecemos até no escuro. A diferença está em como reagimos ao desafio que nos é proposto.



Temos a grande mania de chamar as coisas que nos desafiam de problemas, mas segundo o dicionário, a palavra problema, significa: Tudo que é difícil de explicar, resolver, tratar ou lidar. É uma dificuldade na obtenção de um determinado objetivo. Mas desafio, significa: batalha na conquista de alguma coisa.

Veja abaixo um conselho da Dory, em 'Procurando Nemo':

"Quando a vida te apresenta um problema, sabe o que você tem que fazer? Continue a nadar, continue a nadar... nadar, nadar... para achar a solução!"



sábado, 22 de fevereiro de 2014

O tentado, tentando ser tentador...



Desde anteontem, o tentador por mim não passa.
Meus olhos tentados ficam a procurar.
Não sei onde está?

Pensava que o encontro já estivesse marcado,
Mas pelo jeito, o objetivo foi alcançado.
Ele conseguiu cumprir sua missão.

Espero que não me mate ou destrua,
já que conseguiu me roubar...

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

O tentador, tentando, tentar...






















"Hoje o tentador passou por mim,
Com a tentação nas mãos,
Tentando me tentar.

Tentado ele ficou,
De tanto que tentou,
Tentou, mas não conseguiu...

Porque eu estava ocupado."

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Entre a "CRUZ" e a "ESPADA"


"Havia um tempo em que eu vivia
Um sentimento quase infantil
Havia o medo e a timidez
Todo um lado que você nunca viu

Agora eu vejo,
Aquele beijo era mesmo o fim
Era o começo
E o meu desejo se perdeu de mim

E agora eu ando correndo tanto
Procurando aquele novo lugar
Aquela festa o que me resta
Encontrar alguém legal pra ficar

E agora é tarde, acordo tarde
Do meu lado alguém que eu nem conhecia
Outra criança adulterada
Pelos anos que a pintura escondia"


segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Ele / Ela - Parte 4


Ele tinha um certo olhar de reprovação.
Odiava quando recebia olhares que não precisavam de nenhuma palavra, pois eram extremamente claros.
Em contra partida, lançava seu maléfico olhar sobre o mais simples ser humano.
Julgava pela mesma aparência, a qual tanto lutava para não ser.
Ele adquiriu um olhar fuzilante.
O desprezo era o seu olhar.





















Ela buscava sempre a razão.
Procurava ver o melhor e o bem em tudo e em todos.



Eles ainda não tinham percebido, mas já haviam se cruzado muitas vezes.

Talvez se olhassem fundo nos olhos um do outro iriam perceber.


Mas esse ainda não é o fim...

_______________________________________

Leia mais deste conto em:

Ele / Ela

Ele / Ela - Parte 2

Ele / Ela - Parte 3

* Ele / Ela - Parte 5

* Ele / Ela - O começo do fim

domingo, 16 de fevereiro de 2014

Convertido ou Convencido?




























A questão acima tem me feito refletir muito sobre a minha vida. Ao invés de olhar para alguém que age de uma forma diferente da que eu acredito e simplesmente julgá-la, faço o que o texto de 1 Coríntios 10 nos instrue a examinarmos a nós mesmos. Fazendo isso e pensando nesta questão, reflito sobre o que vejo quando olho no espelho.

Ser ou não ser, eis a questão?
- Hamlet, de William Shakespeare

Certa ocasião, Deus permitiu que Jó, um homem justo e íntegro, passasse por aflições. A Bíblia diz que Jó era temente a Deus, cumpridor da lei, e mesmo assim, passou por uma dura experiência. O que aconteceu depois? A Bíblia diz que Jó passou a conhecer verdadeiramente a Deus!

Outra história que me chama a atenção é a de Paulo. Neste outro caso, um homem chamado Saulo perseguia os cristãos, até que teve um encontro com Jesus. Deus permite que ele ficasse cego por um tempo, mas depois, Deus o curou. Após esta experiência extraordinária com Deus, Saulo não poderia ser o mesmo homem: mudou suas atitudes, mudou até de nome.

Estes dois exemplos servem para nos mostrar o que realmente significa se converter. Mudança radical de vida. Abaixo, segue o texto de Lucas 3.7-17, na versão a Mensagem, para reflexão:

"Multidões vieram à procura do batismo, apenas porque parecia ter virado moda, e João esbravejou: “Raça de serpentes! O que pretendem, rastejando até o rio? Acham que um pouco de água nessa pele de cobra vai fazer alguma diferença? É a vida de vocês que precisa mudar, não a pele! E não pensem que podem melhorar a situação invocando Abraão como pai. Ser descendente de Abraão não ajuda nesse caso. Os descendentes de Abraão são muitos. Mas até destas pedras Deus pode fazer descendentes de Abraão. O que conta mesmo é a vida. A vida de vocês mostra frutos? Se estiver como madeira morta, só serve para o fogo”.

A multidão lhe perguntou: “O que devemos fazer, então?” “Quem tiver duas mudas de roupa dê uma para alguém”, ele disse, “e façam o mesmo com a comida”. Alguns cobradores de impostos também queriam ser batizados e perguntaram: “Mestre, o que devemos fazer?” Ele respondeu: “Nada de extorsão. Cobrem apenas o que a lei exige”. A pergunta dos soldados foi: “E nós, o que devemos fazer?” Ele respondeu: “Nada de violência nem de chantagens, e estejam satisfeitos com o salário de vocês”.

O povo, então, começou a prestar mais atenção ao pregador. Eles se perguntavam: “Será que João é o Messias?”

João não deu resposta às indagações deles: “Eu batizo vocês aqui no rio. O protagonista desse drama, perante o qual sou apenas um figurante, acenderá a vida do Reino em vocês, um fogo interior, o Espírito Santo dentro de vocês, operando a mudança de dentro para fora. Ele vai limpar a casa. Fará uma varredura completa na vida de vocês. Tudo que for autêntico será posto no lugar certo, na presença de Deus; o que for contrário à verdade será jogado fora com o lixo, para ser queimado”.


sábado, 15 de fevereiro de 2014

[HashTag] #Chatiado


Olá. Venho através deste, demonstrar a minha insatisfação para com os usuários do Facebook.

Confesso que fico "[HashTag] #Chatiado", com quem não escreve direito e tem muito mais likes do que eu, que me esforço para demonstrar uma boa grafia e que após postar, leio de novo e caso tenha algum erro, corro para tentar consertar.

Entre outras coisas... (risos)
 

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

#Sentimentos - Egoísmo


"EU queria tanto encontrar
Uma pessoa como EU
A quem EU possa confessar
Alguma coisa sobre MIM"


EU - Pato Fu

EU sou. EU quero. EU preciso.

Egoísmo (ego + ísmo) é o hábito ou a atitude de uma pessoa colocar seus interesses, opiniões, desejos, necessidades em primeiro lugar, em detrimento (ou não) do ambiente e das demais pessoas com que se relaciona. Neste sentido, é o antônimo de altruísmo.

Um sujeito egoísta é aquele que acredita que o mundo, inclusive as pessoas ao seu redor, foram criadas para ele e somente para ele. Uma pessoa egoísta – e todos são em maior ou menor medida – sofrem porque as outras pessoas não correspondem à sua expectativa.

O egocentrismo caracteriza-se pela fantasia de imaginar que o mundo gira em torno de si, tomando o eu como referência para todas as relações e fatos.

Uma pessoa egoísta pode não ser egocêntrica, uma vez que luta para fazer com que os fatos se amoldem a seus interesses.

A pessoa egocêntrica é egoísta, no sentido de que não consegue imaginar que não seja ela a prioridade no mundo em que vive.

Há controvérsia se o egoísmo é uma característica natural humana ou se é um hábito adquirido, como um vício moral da pessoa.

A psicologia do desenvolvimento observa que a infância se caracteriza pela passagem de uma atitude naturalmente egocêntrica - em que a criança tem por referência seu organismo e suas necessidades - para uma atitude social e interativa. Deste modo, o egoísmo seria a recusa da pessoa em deixar essa fase infantil, uma luta por manter viva a fantasia do egocentrismo.

Naturalistas, como Richard Dawkins, postulam a base natural do egoísmo a partir da tendência dos replicadores do organismo se associarem apenas segundo o interesse de passar à próxima geração de organismos. É a hipótese do gene egoísta, ou seja, de que os mecanismos genéticos de reprodução agem com fins imediatos e egoístas. O altruísmo seria uma legítima construção da cultura humana.

A definição de atos egoístas depende de pessoa para pessoa. Todavia, em geral, são considerados atos egoístas: consumismo, totalitarismo, doutrinação com o intuito de coagir, etc.

Fonte: Wikipédia

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

#Sentimentos - Inveja [Invídia]


 Ah... a inveja.

Todos sentem, mas dizem que não.

Há aqueles que dizem que sentem inveja branca, como se a inveja tivesse cor...

Inveja boa, é inveja.

Alguns dizem: "Eu queria ter uma vida como a de fulano ou de sicrano", simplesmente pelo que veem.

Quantas vezes desejei ter outra vida, mas quando comecei a pensar que talvez uma outra vida fosse mais difícil, preferi tentar fazer o melhor com a que tenho.

Aí cabe bem aquele ditado popular: "Mais vale um pássaro na gaiola do que dois voando."

Mas vamos ao que o nosso querido 'amigo'  Wikipédia, tem a nos dizer:

Inveja ou invídia é um sentimento de tristeza perante o que o outro tem e a própria pessoa não tem. Este sentimento gera o desejo de ter exatamente o que a outra pessoa tem (pode ser tanto coisas materias como qualidades inerentes ao ser). A inveja é originária desde tempos antigos, escritos em textos, que foi acentuado no capitalismo, na auto-preservação e auto-afirmação.

A inveja pode ser definida como uma vontade frustrada de possuir os atributos ou qualidades de um outro ser, pois aquele que deseja tais virtudes é incapaz de alcançá-la, seja pela incompetência e limitação física ou intelectual. Ela é ainda um dos sete pecados capitais na tradição católica.

A inveja, conforme Sebastián de Covarrubias, gravura do século 16.

____________________________________________________


Para demonstrar um lado 'doce' da inveja, olha que fofura de inveja (risos) em Você Pra Sempre (Inveja), da dupla Sandy e Júnior:

"Eu só quero estar no teu pensamento
Dentro dos teus sonhos e no teu olhar
Tenho que te amar só no meu silêncio
Num só pedacinho de mim

Eu daria tudo pra tocar você
Tudo pra te amar uma vez
Já me conformei, vivo de imaginação
Só não posso mais esconder

Que eu tenho inveja do sol que pode te aquecer
Eu tenho inveja do vento que te toca
Tenho ciúme de quem pode amar você
Quem pode ter você pra sempre"




A música acima, expressa um pouco da minha invídia...

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

#Sentimentos

Nos últimos dias alguns sentimentos dentro de mim se aflorarão, tomaram tamanha dimensão que obrigatoriamente tive repensar atitudes, entre outras coisas. Quando escrevi sobre a beleza no post "O que é 'Beleza' para você?", foi o start que eu precisava para me expor e deixar exteriorizar tudo o que tenho sentido. E percebi que os sentimentos não são ruins, pelo contrário se eles são bem tratados e resolvidos, colocados para fora e denunciados, podem lhe ajudar a descobrir muito, das coisas e de si mesmo. Entendendo a si mesmo, conseguimos entender bem melhor o nosso próximo.

Pretendo com esta série juntar o significado de cada sentimento que tenho tido, com algo para melhor exemplificar a situação. Espero ser compreendido em minhas palavras.



Para começar vamos ver o que o Wikipédia nos diz: 

Sentimentos são informações que seres biológicos são capazes de sentir nas situações que vivenciam. Por exemplo, medo é uma informação de que há risco, ameaça ou perigo direto para o próprio ser ou para interesses correlatos.

A empatia é informação sobre os sentimentos dos outros. Esta informação não resulta necessariamente na mesma reação entre os receptores, mas varia, dependendo da competência em lidar com a situação, e como isso se relaciona com experiências passadas e outros fatores. Na psicanálise, é o estado de espírito no qual uma pessoa se identifica com outra, presumindo sentir o que esta está sentindo.

O sistema límbico é a parte do cérebro que processa os sentimentos e emoções. A medicina, biologia, filosofia , matemática e a psicologia estudam o sentimento humano.

Abraham Maslow, professor de Harvard, comentou que todos os seres humanos nascem com um senso inato de valores pessoais positivos e negativos. Somos atraídos por valores pessoais positivos tais como justiça, honestidade, verdade, beleza, humor, vigor, poder (mas não poder abusivo), ordem (mas não preciosismo ou perfeccionismo), inteligência (mas não convencimento ou arrogância). Da mesma forma, somos repelidos por injustiça, morbidez, feiura, fraqueza, falsidade, engano, caos etc. Maslow também declara que valores pessoais positivos são definíveis somente em termos de todos os outros valores pessoais positivos - em outras palavras, não podemos maximizar qualquer virtude e deixar que ela contenha quaisquer valores pessoais negativos sem repulsa.

Por exemplo, a beleza que está associada com o engano se torna repulsiva. A justiça associada com a crueldade é repulsiva. Esta capacidade inata de sentir atração ou repulsão é o fundamento da moralidade - em outras palavras, sentimentos bem entendidos formam a capacidade interior com a qual nascemos para chegar ao que pensamos ser bom/mau e certo/errado.

Este ponto de vista contrasta agudamente com alguns ensinamentos extremistas de algumas religiões e ideais políticos, que querem estabelecer o que é moral - que os humanos nascem num vácuo moral e que é somente a autoridade quem pode dizer aos seres humanos o que é certo e errado. A exploração extremista dos sentimentos aumenta na medida em que os sentimentos não são apenas distinguidos, mas mesmo separados do pensamento crítico.

Algumas religiões, entretanto (algumas correntes atuais do cristianismo), acreditam que o ser humano nasce com princípios morais a ele inatos, e nele colocados por Deus. E que a "imagem e semelhança" ao Deus criador, citada no livro de Gênesis da Bíblia cristã, se referiria na verdade à imagem e semelhança moral a esse Deus criador, e não à aparência física do Deus cristão. Chegando a uma conclusão próxima à de Abraham Maslow, porém não científica.

Atualmente o termo sentimento é também muito usado para designar uma disposição mental, ou de propósito, de uma pessoa para outra ou para algo. Os sentimentos assim, seriam ações decorrentes de decisões tomadas por uma pessoa.

Por exemplo, o amor não é o conjunto de emoções (sensações corporais) que a pessoa sente por outra ou algo, mas o ato de sempre decidir pelo bem ou a favor de outro ou algo, independente das circunstâncias. As sensações físicas sentidas surgem como consequência da decisão de amar. Este sentimento é chamado por muitos estudiosos como ágape, ou amor ágape. Já as sensações que a atração física que uma pessoa sente por outra produzem em alguém, não podem ser chamadas de amor, ou de algum tipo de sentimento, mas apenas emoções (sensações corporais), consequentes do instinto que levou essa pessoa a sentir atração física pela outra.

Nesta concepção, um sentimento é uma decisão (disposição mental) que alguém toma em sua mente, ou alma, ou espírito, a respeito de outrem ou algo. Por este conceito, toda e qualquer palavra que denota emoções quando usada, pode ser classificada como sentimento quando se refere a algo que podemos ou não escolher fazer (se é um ato pode-se cometê-lo ou não, não é um instinto fora do controle da consciência) ou seja, que possua uma forma verbal. Exemplos:

Amor - Amar (pode-se ou não cometer o ato de amar, a si mesmo, a outrem ou a algo);
Ódio - Odiar (pode-se ou não cometer o ato de odiar, a si mesmo, a outrem ou a algo);
Alegria - Alegrar (pode-se ou não cometer o ato de alegrar, a si mesmo, a outrem ou a algo);
Tristeza - Entristecer (pode-se ou não cometer o ato de entristecer, a si mesmo, a outrem ou a algo); e outros...

Estes sentimentos (estas decisões ou disposições mentais) porém, vão promover emoções no corpo que, estas sim, serão sentidas. Por isso, uma pessoa que ama outra, por haver tomado essa decisão de amar essa outra, mesmo depois de sofrer algum mal cometido pela pessoa amada, pode continuar amando-a, muitas vezes sem entender como pode amar ao mesmo tempo que sente a emoção característica do momento da ira, ou da dor da traição, ou alguma outra emoção que, racionalmente, poderia conduzir a pessoa que ama a querer deixar de amar.

Um problema que pode confundir o entendimento nesta concepção do que é sentimento, é o fato de que, geralmente, os nomes usados pra se referir a um sentimento, também são os mesmos usados pra se referir às emoções mais características destes mesmos sentimentos.

______________________________

Percebe como este assunto é complexo? Vou expressar aqui os meus sentimentos ao longo dos dias e espero que você possa aprender algo, assim como eu estou aprendendo.

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Como salvar uma vida?

Estava ouvindo a música "How to save a life" da banda The Fray, e estava pensando nisso, como salvar uma vida? Queria postar simplesmente a letra aqui, mas ela não refleti o que eu realmente estou sentindo e vivendo.


Tenho pensado muito na tamanha responsabilidade que todos nós seres humanos temos. Além de cuidar do ambiente em que vivemos, a tarefa de salvar vidas. Mas como assim salvar vidas? Salvando vidas.

Assim como uma mãe cuida dos seus filhos. Precisamos ser placas de direção. Precisamos ser pontos de referência. Para onde? Para que lugar?

Podemos pensar que a vida é um mar. Que existem aqueles que mergulham de cabeça até o fundo e vivem o melhor da vida. Existem outros que tem medo de se arriscar entrando em águas profundas. Vivem na superfície, na superficialidade. Vivem com medo de desfrutar e encontrar os tesouros escondidos no fundo desse mar da vida.

Podemos pensar também, que as ondas sejam as agitações da vida. Para aqueles que estão no fundo, submersos, nem sentem muito o seu movimento, mas para aqueles que estão no raso, sentem o seu impacto.

Olhando para vida como um grande oceano, existem aqueles que se arriscam a ir fundo sem saber nadar. Assim como em grandes clubes, resorts, praias... existem homens e mulheres, chamados de "salva vidas", a postos, atentamente para qualquer ocorrência.

“A religião pura e imaculada diante de nosso Deus e Pai é esta: Visitar os órfãos e as viúvas nas suas aflições
e guardar-se isento da corrupção do mundo.” - Tiago 1.27

Você já precisou da ajuda de alguém? E esse alguém não pode ou não conseguiu te ajudar?

Já pensou se existe alguém precisando de você? E se esse alguém pode contar com você?

"Para que outros possam viver, é preciso morrer."


Isso são apenas pensamentos soltos, traduzidos em palavras...

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

"bar da Graça"

Hoje quero indicar para você uma super novidade. É um novo blog com uma proposta super bacana de sacralizar o nosso cotidiano. Chega de separar o secular do religioso. Somos um só. Temos apenas uma vida. Não podemos viver uma dupla personalidade. Farei parte deste novo projeto e espero que haja inspiração em mim para poder compartilhar um conteúdo que agregue algum valor. Mas para apresentar o 'bar da Graça', faço minhas as palavras do mentor do blog: 
 

Está aberto o "bar da Graça"!

O título é provocativo. Causa certa curiosidade. Bar? Graça? Quem é essa pessoa?

Um bar pode ser um local de conversa, de troca de ideias, de passar um tempo se divertindo com os amigos. Pode ser um local cheio de bêbados descontrolados. Para muitos, é um lugar de perdição. O suprassumo do mundanismo. Um dos lugares presentes no Top 5 dos mais profanos do planeta.

Graça é um presente de Deus a nós, um dom imerecido, uma dádiva preciosa. Pode ser também uma disposição do coração de Deus a nosso respeito. Pela Graça somos salvos. É a Graça de Deus que nos transforma, nos liberta, nos mostra o quão imerecedor somos.

"bar da Graça" poderia ser o boteco da esquina, da tia que se chama Graça. Mas nesse caso, não é. É um blog e seu nome sugere sua intenção: unir sagrado e "secular". O objetivo é encontrar a Graça onde ninguém vê e aproximar cotidiano e sagrado, fazendo-os se tornarem um só. Mostrar que "a fé tá na vida", que há ecos do Evangelho e da Verdade fora dos nossos arraiais. Sacralizar o cotidiano.

A missão do "bar da Graça" é dupla: em primeiro lugar, é apresentar a Boa Nova de maneira relevante para a sociedade atual, através de elementos artísticos e da cultura pop. Em segundo lugar, busca mostrar para os cristãos a Graça que há na criação do Criador, pois todo dom perfeito vem dEle, tudo é por Ele e para Ele.

Já passou da hora de pensarmos um pouco fora dos preconceitos que a religião nos coloca. É hora de olharmos para a criação e vermos Deus e não o diabo, de olharmos para a arte e vermos a criatividade que o Autor da vida derrama sobre o ser humano. De olharmos para o ser humano e compreendermos que a imago Dei nele está deformada pelo pecado e que, apesar do mal, ainda há reflexos da bondade e da verdade. É hora de acabarmos com esse pensamento dicotomizador, que separa "vida secular" de "vida pra Deus" e começarmos a encarar toda a nossa vida como sagrada, toda ela como dedicada a Deus, tudo o que fazemos, tudo o que somos. É hora de compreendermos que "obra de Deus" não são apenas atividades na igreja e que servir a Deus não é simplesmente fazer coisas no "templo" ou ter um ministério itinerante pelo mundo.

Para o cristão, não há uma vida sagrada e outra secular. Apenas vida sagrada, afinal, tudo que faz - seu trabalho, seu estudo, sua diversão - é feito para Deus.

Pensando nisso, o "bar da Graça", de início, servirá drinques separados em cinco seções:

Mesa de Bar (#mesadeBar): são textos para expor ideias, discutir um assunto, expressar opiniões dos autores sobre religião e espiritualidade.

Mais um, por favor (#maisumPorFavor): são textos inspiradores, nos quais o eu-lírico do autor é aflorado, onde sentimentos são colocados para fora, onde as dores da vida são escancaradas.

Aperitivo (#aperitivo): Drinques rápidos, apenas para compartilhar uma música, um poema, poesia ou conto, sem discorrer sobre eles.

Jukebox (#jukebox): para mostrar que Deus também fala através da música dita "secular", se você ficar atento à voz dEle.

Coquetel (#coquetel): algo do cotidiano e "secular", como uma propaganda, um filme ou um livro, numa boa mistura com a Palavra e valores do Reino.

Seja bem vindo ao "bar da Graça"!

Por Netto Britto

domingo, 9 de fevereiro de 2014

O que é 'Beleza' para você?



Beleza é algo muito subjetivo. Beleza é quase uma questão de gosto, de opinião. Por que eu posso ver beleza aonde ninguém mais vê. Por isso que gosto de sempre dizer:

 A beleza está nos olhos daquele que vê beleza.  

Espero não ser mal interpretado pelos que são ou estão desprovidos de sua visão.

Às vezes pergunto para Deus:

Por que algumas pessoas são tão bonitas exteriormente?

Talvez para o leitor possa parecer um pouco de recalque [... sentimentos e desejos que o indivíduo não quisera admitir e que todavia, continuam a fazer parte de sua vida psíquica, podendo dar origem a graves distúrbios.]. E não vou negar que é! (risos)

Alguns dizem que o que mais importa é a beleza interior. Quem sou eu para discordar???

Mas enquanto meus olhos estiverem postos nesta terra, eu ainda vou procurar a beleza nos corpos e rostos. Por que ao invés de olhar para as pessoas e procurar o melhor delas, procuramos aquilo que pode nos satisfazer. {Isso é um fato!}

Existem pessoas que aparentemente são lindas, mas o seu interior é como um sepulcro caiado.

E também há aquelas que por fora não tem nada que nos gere algum interesse, mas são tão lindas.

O importante é que possa existir em nós esse detector. Saber reconhecer tanto um tipo de beleza como a outra. É importante demais também reconhecer que existe beleza em si, com humildade.

FYI: Escrevo isso olhando para pessoas bonitas e feias. Ah... E também olhando para o espelho, metaforicamente, olhando para a minha alma.

sábado, 8 de fevereiro de 2014

SIN - A história de Sinner - Parte 4

Deus ouviu o clamor dos Sinner's. Então, Ele amou o mundo de tal maneira, que deu seu Filho Unigênito, Jesus, para que todo aquele que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna.























E por causa do sacrificio d'Ele na cruz, onde levou sobre si todo o escrito de divida, o homem pode ser chamado de bom novamente. Não por ele ser, mas por causa da Graça, um favor imerecido que o atinge e faz com que ele seja amigo de Deus.
























Deus olha para ele e não vê os seus erros e falhas do passado, mas vê o sangue do Seu Filho sobre ele. Hoje eles continuam pecadores, mas podem cantar e viver a canção da liberdade. Mas sem se esquecer de que conhecendo a verdade eles serão livres.

























__________________________________________________________________

Leia mais em:

Parte 1

Parte 2

Parte 3


sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

SIN - A história de Sinner - Parte 3

Sinner estava preso...

Mas não era o único. Todos os homens após ele se enveredaram por este novo e triste caminho.
























A percepção deles de que algo estava errado só se manifestou quando decidiram clamar por socorro.





Somente algo poderia salvar a vida de Sinner...

__________________________________________________________________

Leia mais em:

Parte 1

Parte 2

Parte 4

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

SIN - A história de Sinner - Parte 2

Um mundo novo se descortinou diante dos olhos de Sinner...
























Que sem que ele percebesse e se desse conta...
























Continua...

__________________________________________________________________

Leia mais em:

Parte 1

Parte 3

Parte 4

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

SIN - A história de Sinner - Parte 1

Deus, o criador, viu que tudo o que fizera era bom e disse ao homem (Good) [parte de sua criação] que não o desobedecesse, por que Ele sabia o que era melhor para ele.



O homem [que era bom aos olhos de Deus] por sua vez, resolveu dar voz ao mal (SIN). A partir deste momento ele passou a ser Sinner.



Fotos: Lightstock

__________________________________________________________________

Continua em:

Parte 2

Parte 3

Parte 4

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

"Eu não sei na verdade quem eu sou..."

Ultimamente tenho gostado de ouvir coisas e pessoas que me façam pensar fora da "caixinha" que me encontro. Fico impressionado e motivado quando algum pensamento me faz divagar e ir além do que conheço. Pensar tem sido algo importante. Afinal, temos um cérebro para isso, não?

Na maior parte de nossa vida vivemos alienados àquilo que nos dizem ser o correto e por causa disso construimos um muro contra tudo o que difere do que acreditam ser certo. Espero que os versos a seguir possam gerar alguma reflexão em você, assim como tem sido comigo. Talvez sejam apenas simples versos, rimas que você despreze, mas são simples verdades.


 

"Eu não sei na verdade quem eu sou... Já tentei calcular o meu valor, mas sempre encontro sorriso e o meu paraíso é onde estou... Por que a gente é desse jeito criando conceito pra tudo que restou?



Meninas são bruxas e fadas,
Palhaço é um homem todo pintado de piadas!
Céu azul é o telhado do mundo inteiro,
Sonho é uma coisa que fica dentro do meu travesseiro!


Descobri da onde veio a vida,
Por onde entrei deve haver uma saída,
Mas tudo fica sustentado pela fé!
Na verdade ninguém sabe o que é!

Velhinhos são crianças nascidas faz tempo!
Com água e farinha colo figurinha e foto em documento!
Escola é onde a gente aprende palavrão...
Tambor no meu peito faz o batuque do meu coração!


Percebi que a cada minuto
Tem um olho chorando de alegria e outro chorando de luto
Tem louco pulando o muro, tem corpo pegando doença
Tem gente rezando no escuro, tem gente sentindo ausência!"


- Teatro Mágico



domingo, 2 de fevereiro de 2014

Conversas pelo WhatsApp 1



(Um amigo me pergunta:) Você está bem?

- Eu não tenho do que reclamar, mas reclamo. Fico triste podendo estar feliz.

...

(O mesmo amigo me diz:) A ingratidão é uma das piores coisas...

- Sim, mas não devo esperar gratidão, sendo um grande ingrato.

(O mesmo amigo ainda me pergunta:) Mas você está bem quanto a isso?

- Sim, mas só me sinto triste pela ingratidão. Sensação estranha essa né? Pena que não pensamos nela antes de causar em terceiros.

(O amigo complementa:) Verdade... Esperamos gratidão, mas não a demonstramos.

sábado, 1 de fevereiro de 2014

Ele / Ela - Parte 3


























Ele decidiu tomar um rumo na vida.

Ela decidiu pensar na vida.

Tudo isso após atingirem a maioridade.

Acredito que assim como os anos, ganharam também uma certa maturidade.

Ele tinha muitos complexos.
Pensava por que os outros eram mais bonitos do que ele.
Por que os outros?


Ela, dessa vez preferiu se privar.
Ela não quis nem se pronunciar...


Ele não queria viver a própria vida.
Não culpava ninguém, apenas achava que poderia ter mais.
Sua canção era:

"E olhando pra trás para ver as coisas que eu fiz,
Eu tentava ser alguém que eu nunca quis,
Por que minhas próprias mentiras
Me impediam de ser eu mesmo, alguém que eu nunca quis ser..."


Ah... como ele se lamenta...

Essa história vai continuar...

_______________________________________

Leia mais deste conto em:

Ele / Ela

Ele / Ela - Parte 2

Ele / Ela - Parte 4

* Ele / Ela - Parte 5

* Ele / Ela - O começo do fim