quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Au Revoir 2015


O ano de 2015 já foi. Já passou. Já acabou. Me lembro de quando estava escrevendo as minhas lembranças e memórias do ano de 2014, que foi um ano de muitas mudanças e transformações, pedia para que o ano de 2015, fosse como um forasteiro.

E foi assim mesmo que ele foi. Que ele veio. Um forasteiro de mim que me surpreendeu.
Foi tão rápido, mas extremamente decisivo e importante. Espero que 2016 continue assim, que eu possa me surpreender positivamente com a vida, mais a cada novo dia. Feliz 2016!

terça-feira, 29 de dezembro de 2015

Retrospectiva de 2015

Em 2015,
assim como nos outros anos,
escrevi sobre o que vi, vivi e senti.

Amei e desamei.
Insisti e desisti.
Comecei e terminei.
Também comecei e não terminei.
Até ensaiei,
mas não encenei.

Sorri.
Chorei.
Gritei.
Briguei.
Falhei.

Enfim, eu sofri,
mas quem não sofreu?

Sobretudo, eu tentei.
Até errei tentando acertar.

terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Lembranças de Natal...



O Natal já foi um dia legal para mim. Já foi um dia mais esperado. Mais aguardado. Mais ansiado.
Tudo me atraía. Suas luzes, suas cores e seus cheiros.
Hoje tudo parece por obrigação. Obrigação de fazer, de se estar junto.
Talvez seja eu que envelheceu. Que amadureceu e o ânimo perdeu.
Me lembro de ter sempre alegrias nessa data.
Quem sabe os sonhos de criança e a visão da infância possam retornar.
Quem sabe?

sábado, 19 de dezembro de 2015

Felicidade...



Felicidade é só questão de ser. Todos merecem ser felizes. Às vezes não somos porque não queremos ou porque nos deixamos ser sucumbidos pelo sistema que nos aflige. Primeiro precisamos ser livres por dentro. Para que enfim, esta alegria possa exteriorizar e aformosear nosso rosto.

quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

3 anos de Blog! #SerEsPaPeFiCo


Muita coisa mudou desde 17 de dezembro de 2012, quando esse blog começou. Os dias eram outros, o nome era outro, o layout era outro, eu era outro, no entanto, eram todos outros enquantos. A vida era vista com outros olhos. Com os olhos de um menino que tinha muitos sonhos. Que não vivia sua realidade. Desligava-a, para viver no lúdico.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

Cantando para Deus: #Gratidão [Músicas da Kari Jobe]


Uma coisa que é bem clara para mim, é a necessidade que o ser humano tem de se voltar para sua fé, na maior parte das vezes, esse ato acontece quando as coisas não estão bem. Não é uma regra, mas pelo menos já aconteceu comigo. Isso não nós torna mais ou menos interesseiros, mas apenas constata que sem algo superior não podemos prosseguir. Deu para entender?

sábado, 12 de dezembro de 2015

O complexado

Para começar, ele já não gosta do seu nome. Do Seu pouco cabelo. Do seu corpo. Do seu peso. Dos seus dentes amarelados por excesso de antibióticos tomados quando criança. Não acha muita beleza em seu rosto. Às vezes, consegue um bom ângulo. Embora goste muito da cor dos seus olhos. Ele tem dificuldade em confiar. Gostaria de ter o poder de ler as mentes. Gosta que as coisas saiam como ele quer. Se assim não acontece, já encontra vários problemas que não existem.

quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

Olhos...

Olhos ternos.
Olhos tortos.

Olhos altivos.
Olhos famintos.

Olhos com espinhos.
Olhos vazios.

Quantos olhares damos?
Quantos olhares recebemos?

Quantos conseguem sentir o peso de um olhar?
Quantos conseguem não se expressar através de um olhar?

Literalmente, os olhos falam muito mais do que mil palavras.

terça-feira, 8 de dezembro de 2015

Agradecimento Especial

Amor,
Quero te fazer um agradecimento especial.
Você é um anjo
que Deus mandou para a minha vida.
Que estava devastada e vazia.
Você trouxe alegria,
Fantasias,
Desejos,
Sonhos
E realizações.
Coisas boas tem acontecido.
Estou feliz por isso
E as pessoas tem visto isso,
E se alegrando comigo.
E acredito que parte da sua missão
na minha vida,
É essa.
Te amo hoje mais do que ontem.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

Muda



Já percebeu como a vida muda? Se você não muda, nada muda.
Então, muda. Mesmo que seja uma muda de roupa.

sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

Medo

Sou um tanto quanto observador.
Vejo que os demais são intensos quando querem.
Quando eu mostro a Felícia que existe em mim, eu tenho medo.
De ser excessivo.
De ser demais.
Eu até tento esconde-la, mas isso é apenas mais uma das muitas facetas do meu medo.

quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

Andando nas nuvens...


Hoje o peso que carrega é apenas o do seu corpo.
Sem carregar mais a carga extra que o pesava por quase trinta anos.
Parte destes anos, foi sem entendimento de causa.
Outra parcela deles de negação contínua.
Uma pequena parcela de esperança, quase foi sucumbida pela parte esmagadora,
pelo medo que o permeou ao longo dos anos.
Hoje respira, caminha e se alivia.