sábado, 29 de agosto de 2015

Esperando na Janela



Certo dia, o amor bateu em minha janela e sem muitas expectativas eu resolvi abrir.
Conversamos um pouco.
Deixei que ele me apresentasse seu lado da vida.
Percebi que era a sua primeira visita em minha janela.

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

A vida não é fácil, é farsa!


"Por que precisamos fingir não gostar ou querer algo, sendo o oposto disso?"

domingo, 23 de agosto de 2015

sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Até acontecer com você...

Existem situações e assuntos diversos que não temos propriedade para falar, mas que insistimos em tagarelar. Por quê?

Eu me incluo nisso. Quantas vezes quero dar a minha opinião sobre algo, mesmo sem conhecimento de causa, tento pelo menos frisar que é a minha visão de fora da coisa. Querendo ou não, quem vê de fora, vê o que quem está imerso na situação não vê. Mesmo assim isso não nos habilita a posição de crítico mor.

Por isso, acredito eu, se fôssemos mais tolerantes e misericordiosos para com a dor do outro, não faríamos tanta acepção de pessoas. Será?


terça-feira, 18 de agosto de 2015

50 fatos sobre mim...




Para comemorar as 50.000 visualizações no blog, reais ou não, fiz uma tag muito famosa na internet, feita por muitos youtubers. Decidi elencar 50 fatos sobre mim, caso achar interessante, faça uma lista com os seus e compartilhe. Antes, agradeço a você, meu caro leitor que me motiva e incentiva a escrever mais a cada dia.

segunda-feira, 17 de agosto de 2015

Qual é o valor das coisas?



Depois de fazer mais um ano de vida, você começa a perceber qual é o verdadeiro valor das coisas e das pessoas. Você começa a contar quantas pessoas realmente se importam com você e com quantas você mais se importa. Nesse momento, percebemos que para aquela pessoa que está ali do nosso lado diariamente, não damos tanta importância quanto para quem está distante. Chego a pensar que a nossa 'valorização' ou 'precificação', não é exata ou correta, porque não se pode mensurar o valor de alguém ou a sua importância. No trabalho, por exemplo, o valor do nosso emprego está muito atrelado ao valor de nosso salário. E para a empresa, também não passamos de um número. Eu espero não ser mais um número vagando perdido por aí. Que eu possa ser um número importante para alguém. E que a troca ou valorização seja reciproca. Estou apenas pensando sobre valores, números e as coisas mais importantes que cada um tem ou preza na vida.

sábado, 15 de agosto de 2015

Debaixo do "Chandelier"

Estou aprendendo algumas lições, que gostaria de compartilhar com vocês:


Não deixe de fazer as coisas que você tem vontade, por falta de companhia.
Não deixe de ir ao cinema sozinho, porque seus amigos pensam ser algo deprimente.
Não perca um belo dia de sol porque ninguém quer lhe acompanhar num passeio ao ar livre!

quinta-feira, 13 de agosto de 2015

quarta-feira, 12 de agosto de 2015

A Pérola escondida


Por sempre ter ouvido que ele era o que todos diziam, àquilo se tornou algo pesado, pejorativo, um fardo que ele não podia mais suportar, uma ofensa mesmo. E ele cresceu com aquilo sendo gritado em seus ouvidos, e como uma grande ostra, se fechou, mas tanto, que para verem quem ele realmente era, se tornou uma façanha bem difícil e para raros.

terça-feira, 11 de agosto de 2015

Prezada Presa



“Presa, somos todos presas fáceis para nossos prezados predadores.
Assim como essas flores, nossa verdadeira beleza por mais que um pouco apareça, ela ainda fica presa e contida pelas muitas grades que prendem a atenção do nosso coração.”

Apenas filosofando ou apenas, mais uma vez, pensando demais.

sexta-feira, 7 de agosto de 2015

#Post N°. 600


O ano era 1999. Uau... a long time ago. Eu ouvia um novo som. Uma nova música. Para quem na época ouvia basicamente Sandy e Júnior, era algo bem diferente mesmo. Era o CD 'Rainbow' da Mariah Carey. E quem iria dizer que anos luz, ele faria mais sentido que na época. Não sei vocês, mas eu não tenho um inglês fluente, mas agradeço a Deus pela tecnologia, pois hoje, ela me possibilita ouvir uma música e ao mesmo tempo ler a sua letra no original e simultaneamente traduzida para o português, por um aplicativo de Smartphone. Então, prestando atenção na letra de uma música em específico, além de perceber o quão relapso sou, descubro a minha música tema dos dias atuais. A música se chama "Can't Take That Away", e no CD aparece como sendo o tema de Mariah. Hoje faço dessas palavras as minhas.

quinta-feira, 6 de agosto de 2015

Real X Virtual


No virtual podemos ser quem quisermos. Mas na real somos apenas quem somos. No virtual não se tem medo, pudor ou calor. Mas na real existe medo, frio na barriga, temor e calor. Embora, isso não impeça as pessoas de fazerem as coisas. No virtual, tudo fica subentendido. Algumas coisas são até ofensivas. Já, na real, tudo é melhor esclarecido. Olhando nos olhos... Nada pode mudar isso.

quarta-feira, 5 de agosto de 2015

M@L†®Ap!Lh0$: O desabafo de Renato

Os Maltrapilhos eram um povo distinto, não extinto.


Eles tinham medo. Viviam isolados, se escondendo de tudo e de todos. Quem olha para eles pensa: "Em que década eles vivem?". Por mais que haja diferença entre cada ser humano, as pessoas tendem a extirpar todo e qualquer que dissimila e destoa da grande massa. Julgam que alguns são uma aberração.

Renato era um menino simples, aparentemente sem problemas. Era também muito tímido, mas ele não se sentia sincero. A começar consigo mesmo. Certo dia, resolveu ir na reunião dos M.A. (Maltrapilhos Anônimos), Renato pediu a palavra e disse:

segunda-feira, 3 de agosto de 2015

Cantar ou Contar?

Por algum tempo, eu acreditei que eu havia nascido para cantar sobre o amor. Esse amor, era um amor que eu conhecia dos filmes, livros e revistas, mas que eu desconhecia sua vivência. Eu escrevia letras e mais letras, poesias, mas nada disso fazia muito sentido. Anos depois, conheci um louco amor, que me fez perceber o quão distante eu estava do seu real significado. Até hoje, sigo tentando. Buscando encontrar a minha batida perfeita. Mesmo sem entender muito bem ainda, eu entendi que assim também preciso ser, LOUCO. Embora, eu já seja um pouco... É tão estranho quando você se lembra de algo que escreveu há anos, mas que parece fazer mais sentido nos dias atuais, do que em outrora... Eu hein?! Eu pensei que eu havia nascido para cantar, mas pelo jeito eu nasci mesmo foi para contar... números e histórias. Verdadeiras ou inventadas. Não passam de um monte de "papagaiada"!

sábado, 1 de agosto de 2015

Escolhas e mais escolhas...


Escolhas são mais do que simples opções.
Ou o simples ato de escolher deveria ser melhor encarado. De forma que as escolhas implicam em ganhar de um lado e perder de outro. Há sempre o que ceder. Há sempre o que ganhar. Então todo dia, toda hora, precisamos escolher. O que vamos querer ganhar? E o que vamos querer perder?
Não há um meio termo.