segunda-feira, 29 de junho de 2015

A culpa é das estrelas?


"O mundo não é uma fábrica de realização de desejos."

Por que sempre temos que culpar alguém? Por que sempre precisamos nos desculpar? Não entendi bem a alusão da história com o seu título, me desculpem por isso, mas como tendência humana, já faz parte da nossa rotina elencar alguém ao posto de culpado. Ora uns. Ora outros. Ora até Deus.

"Se você quer ver o arco íris, precisa aguentar a chuva."

domingo, 28 de junho de 2015

A história do menino Anthony




Anthony era um menino qualquer, talvez mais sonhador que os demais. Ele queria muito ser um cantor de sucesso. E queria com isso, tudo o que acompanhasse esse pacote: Fama, dinheiro, prêmios, mas o mais importante para ele, era o reconhecimento.

sábado, 27 de junho de 2015

Em um relacionamento instável...


Eu acho que ele não gosta de mim.
Sinceramente falando, convenhamos que ele não vai mesmo com a minha cara.

Ele se infiltra enquanto eu tento me esconder.
Quando eu estou apenas tentando me proteger.
Fico a pensar, como ele consegue chegar a esses lugares?

Ela também não me deixa em paz.
Me segue, me persegue e ainda me inflama.

Eu tô falando do frio.
Eu tô falando do vento.
Eu tô falando da gripe.
Eu tô falando da minha dor na garganta.

Na verdade, eu acho que tudo isso, não passa da minha hipocondria.

sexta-feira, 26 de junho de 2015

Sessão de Terapia #226



- Por que há curiosidade de saber coisas de um passado distante e longínquo, se você não estava lá?
- Por que ficar sofrendo e se martirizado imaginando algo que você não participou?
- Aff... que loucura!

"Existe uma linha tênue entre a realidade e a fantasia.
Tudo depende da massa encefálica que está processando todas as informações."
(Zhé Lopes, 2015)

quinta-feira, 25 de junho de 2015

Confissões de uma Felícia


"É até engraçado.

Eu amo quando as pessoas que eu gosto
se importam comigo.
Me ligam.
Se interessam.
E fazem algo especial para mim.

Mas quando sou eu,
Quem faz estes tipos de coisas,
Sou má interpretada,
E considerada como pegajosa.

Vai entender?"

quarta-feira, 24 de junho de 2015

A satisfação da insatisfação


A insatisfação dele era tamanha e sem igual.
Por mais que ouvisse, recebesse
e vivesse demonstrações de afeição,
ainda não eram o bastante.
Ele queria mais,
mas um mais que nem ele sabia bem o que era.
Caso o caro leitor descubra o que seja,
favor descrever nos comentários abaixo.
Grato.

terça-feira, 23 de junho de 2015

Sabe? #2




Sabe quando você gosta muito de uma pessoa,
e pensa nela o tempo todo?

O que ela está fazendo?

O que ela está pensando?

E você não vê a hora de estar com ela novamente?

E essa ausência dói demais dentro do peito...

Sabe?

segunda-feira, 22 de junho de 2015

Sobre esperar...



Eu odeio esperar. Afinal, quem gosta? Quem nasceu para esperar, foi a mulher quando está grávida. Quanto a isso não tem jeito. Mas as demais situações... A ação de esperar, na minha humilde opinião, deveria ser considerada como uma prova de amor. #ApenasAcho

domingo, 21 de junho de 2015

Fora de prumo...



Sentindo frio no verão.
Calor no inverno.
Vendo as flores caindo na Primavera.
E tendo flores no outono.

Tudo está diferente do que era antes.
Talvez tudo esteja fora do prumo.

sábado, 20 de junho de 2015

Hoje eu entendo ela...


Hoje eu sei o que ela sentia. Ela sofria calada, às vezes até falava, balbuciava, mas eu não escutava. Não reparava no mal que ocasionava. Vez ou outra eu até concordava, embora na maior parte das vezes, achava que ela estava equivocada. Coitado de mim. O problema estava mesmo em mim. Só eu não sabia, ou pior, não reconhecia. "O amor é uma decisão!"

sexta-feira, 19 de junho de 2015

Uma semana qualquer...



Uma semana tem:

7 dias
168 horas
10.080 minutos
604.800 segundos

Se for ver pela totalidade, parece pouco.
Mas para a distância e para a saudade,
É muito tempo.

1 mês de conhecimento.
Lições e aprendizados.
A imagem expressa bem a realidade.
O amor é como uma flor.
Precisa de carinho, cuidado e dedicação.
É preciso regar...
Se quiser continuar a ver sua beleza!

quinta-feira, 18 de junho de 2015

Um pouco de tudo isso...




Sou um pouco de tudo isso. Um pouco daquilo também. Um pouco do que já ouvi. Do que já fui ensinado. Do que já vi, vivi e presenciei. Cada música que já escutei e cantei, e cada lembrança em minha memória, me fazem um pouco diferente. Já tentei ser amarelo, verde ou azul. Já tentei ser como as pessoas gostariam que eu eu fosse. Enfim, isso não deu certo. O que sou mesmo, é a junção de todas essas coisas e cores.

quarta-feira, 17 de junho de 2015

O Egocêntrico


Você não falou nada. Talvez agradeceu. Mas eu esperava mais.
Fazendo isso, você despertou em mim, o egocêntrico que eu desconhecia.
Na verdade, eu conhecia, mas fingia que ele não existia.
E por esse motivo, eu te culpo, pois como egocêntrico que sou, não sei levar a culpa sozinho.
E a escolha da vez, foi você. Muito obrigado por me fazer ver quem eu sou!

terça-feira, 16 de junho de 2015

A Preocupação


Pensava eu, que a preocupação maior seria da minha parte, mas que engano meu. Quando juntos, meus olhos ficam fitos em você, mas os seus passeiam pela extensão de todo o ambiente. Sinceramente, penso trezentas mil coisas, embora eu prefira pensar que a sua preocupação é maior que a minha. Não sei dizer bem o porquê?

segunda-feira, 15 de junho de 2015

A didática da Vida



Tentando entender a didática da vida.
Parece que Eclesiastes está mesmo certo:
"Há tempo para todas as coisas debaixo do Céu."

domingo, 14 de junho de 2015

Cantando Para Deus: "Pés cansados" [Sandy]


Alguns já disseram que essa música narra a história bíblica do filho pródigo, e eu também a remeto a isso e a trago para o meu contexto. Embora a interpretação das coisas seja de livre aceitação ou não, o caro leitor pode dizer: "Ah, que baboseira ou que blasfêmia", mas sendo ou não, quero compartilhar ela aqui, pois ela representa bem o momento vivido.

sábado, 13 de junho de 2015

O perdido encontrado



O perdido se sente encontrado. Amado. Desejado. Respeitado. Talvez despreparado.
Ou um desgarrado. O coração lhe presenteia, mas as reações em cadeia lhe dilaceram.

sexta-feira, 12 de junho de 2015

Perfeita imperfeição



Hoje eu acordei pensando em você. Em nós. Até em qual camiseta estava usando. Percebi que temos sonhos tão parecidos, e que andando juntos, isso parece um sonho. Sei que ainda precisamos encarar muitos olhares. De espanto. Aprovação. Reprovação. Decepção. Mas olhando nos teus olhos eu tento imaginar, talvez até decifrar o que os seus pensamentos pensam. Na verdade, são eles que mais importam para mim. Enfim eu percebo, que é preferível ver os defeitos e não escondê-los. E que a perfeição está em ser um ser imperfeito. Assim como nós.

quarta-feira, 10 de junho de 2015

#FanFiction: The Vampire Diaries [Diários de um Vampiro]



Demorou para eu gostar.
Para eu querer assistir.
Mas também,
quando comecei,
Não mais parei.

Assisti 5 temporadas
em meses.
Freneticamente.
E depois de ficar indignado com uma notícia,
Foi que surgiu essa série.
A minha série: Fan Fiction!



terça-feira, 9 de junho de 2015

O/A Segurança


O segurança trabalha para que a segurança prevaleça.
Mesmo que ele se assegure que tudo está seguro,
Existem fatores externos que estão fora do seu controle.

domingo, 7 de junho de 2015

Dear Christine


Ela procurou em sua bolsa, em suas coisas, em seu guarda-roupas e até debaixo da cama. Ela buscava como uma doida, até encontrar o que tanto precisava e procurava. As palavras que seu pai lhe dissera, ecoavam sem fim bem fundo em sua nuca. Palavras repetidas que talvez ela deva ter ouvido, mas nunca se atentado ou que nunca tiveram tanto impacto por terem sido ditas por alguém que ela esperaria apenas apoio.

quinta-feira, 4 de junho de 2015

O Paradoxo do MEIO - TERMO


Há um bom tempo, eu tenho vivido um paradoxo. Tenho o chamado de 'O Paradoxo do Meio-Termo'. Desde então, venho tentando imprimir esta ideia em pensamentos e em palavras, mas não tem sido fácil. Vou tentar exemplificar o que estou querendo dizer:

O que é um Paradoxo? O que é um MEIO-TERMO?

segunda-feira, 1 de junho de 2015

Walking Bullying



Alisson era uma menina muito rica, mas isso não significava que ela tinha tudo, ao menos, o que o dinheiro não podia comprar. Ela era a rainha do bullying. Não porque sofria algum, mas porquê aplicava em qualquer um, em qualquer lugar que fosse e na hora que sentisse vontade. O porquê de tanta maldade, era o que os sofredores perguntavam. O que eles não sabiam, era que ela sofria de um transtorno obsessivo compulsivo, onde tinha a necessidade de se sentir superior e melhor que os demais. Ela fazia isso, porque foi ensinada assim. Seus pais a compararam aos seus irmãos e então o desejo por ser quem todos diziam que era se tornou maior do que a verdade. Ela perseguiu isso com afinco até que um encontro a fez ver as coisas como elas realmente eram.