terça-feira, 24 de novembro de 2015

A história sem começo, meio ou fim...

Tudo começou num domingo qualquer. Algumas histórias costumam começar nas segundas, mas esta quis ser diferente. E por ser diferente, foi diferente em tudo mesmo. Não me lembro bem como tudo aconteceu ou como estava o tempo, no entanto vou partilhar do pouco que vi.

Eu estava sentado na varanda de minha casa, no domingo a tarde, como de costume, amando sentir o toque do vento, quando alguém desconhecido se aproxima e começa a puxar papo. Tentando ser educado e para variar falando sobre o tempo, iniciamos ali algo que foi até o sol se pôr.

A afinidade foi tamanha, que parecia que há muito nos conhecíamos. Enfim, depois de todo esse papo, a natureza nos chama, e no pouco que me ausentei, foi como se o anjo tivesse terminado ali a sua missão, desaparecendo. Talvez, fosse apenas um anjo querendo me entreter ou conversar. Vai saber?

2 comentários:

  1. E quanta gente não vai embora? Há uns dias atrás me peguei a conversar com uma guria argentina num passeio que fui fazer sozinho á Santo André, no fim das contas ficamos sete horas seguidas conversando .. uma graça de pessoa.

    ResponderExcluir