sábado, 21 de novembro de 2015

O príncipe e seu amigo plebeu - Parte III



O sentimento de alegria não foi passageiro. O pobre plebeu se alegrou muito com a mensagem do seu amigo. Pensando fortemente sobre o que o príncipe disse que ele devia fazer, o plebeu mergulhou fundo em seu coração e mente para tentar descobrir que lugar esta passagem estaria escondida. O mistério que permeia toda aquela situação, ainda é um enigma. "Com o seu coração e amizade verdadeira, vai descobrir.", era a mensagem que ecoava em sua mente. Mas como os segundos se passam, os minutos, as horas, os dias, as semanas, os meses, os anos...

O plebeu cansou de esperar pela príncipe. Então decidiu gritar seu nome. De tanto que ele insistiu o príncipe deu o ar da graça. Perguntou rispidamente o que ele queria, o plebeu que ficou um pouco atônito, sem muito entender, falou que queria alguma explicação. O príncipe que já estava exausto daquela história, falou que não estava com disposição para aquilo e que não tinha tempo na sua vida para alguém que precisa da sua atenção. Como algo que fica preso na garganta, engasgado, foi o que o plebeu sentiu. Sem mais retrucar, decidiu partir. Floresta a dentro, foi-se. O príncipe que morreu congelado com toda sua frieza, ouviu antes de morrer que o seu 'amigo' plebeu seguiu em frente e encontrou uma nova razão para ser feliz. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário