quinta-feira, 2 de janeiro de 2014

"Pais e Filhos"

Por mais que eu tenha feito alguns comentários 'contra' as convenções sociais de fim de ano, 'Espírito Natalino', em alguns muitos posts, confesso que esta época do ano faz mesmo com que as famílias desfrutem de uma unidade. E é somente nestes momentos que refletimos sobre nossas ações e o impacto delas.


Meu irmão Marcos Vinícius, meu pai e eu!

Há algum tempo estou querendo escrever algo sobre a canção 'Pais e Filhos' da Legião Urbana. Mas somente ontem surgiu uma inspiração e um sentido real para tal. Não vou simplesmente lançar a letra da música aqui, mas quero colocá-la de forma que nos traga uma reflexão.

O que estarei elencando, nada mais é do que uma compilação de pensamentos meus. Acredito na livre interpretação das coisas. O sentido original fica a critério de cada um, pois tudo depende da forma com que você vê e busca compreender as coisas.

 Existem vários tipos de pais, da mesma forma uma infinidade de filhos, mas nenhum se encontra na posição de plenitude em suas funções. Acredito que essa música fala destes dois extremos.

Pais e Filhos - Legião Urbana

"Estátuas e cofres e paredes pintadas
Ninguém sabe o que aconteceu
Ela se jogou da janela do quinto andar
Nada é fácil de entender..."

- A frase final deste trecho, descreve a situação em que vivemos. Julgamos as pessoas, seus motivos, sem nem mesmo dar lugar a explicações. Vivemos de especulações. Falamos do que achamos. Mesmo sem sabermos da verdade. Não buscamos entender o por que das coisas...

"Dorme agora
É só o vento lá fora..."

- Vejo esse trecho como o consolo de um pai, para um filho com medo de um barulho...

"Quero colo!
Vou fugir de casa
Posso dormir aqui com vocês?
Estou com medo, tive um pesadelo
Só vou voltar depois das três
Meu filho vai ter nome de santo
Quero o nome mais bonito"

 - Penso no trecho acima como várias declarações de filhos diferentes. Quantas destas declarações você já fez? Todas elas foram atendidas ou cumpridas?

"É preciso amar as pessoas
Como se não houvesse amanhã
Porque se você parar pra pensar
Na verdade não há"

- Além de ser um dos maiores mandamentos que Jesus nos deixou, é um dos trechos mais lindos que existe (na minha humilde opinião). Algo tão simples, difícil e profundo ao mesmo tempo.

Meu irmão Marcos Vinicius, eu e o Pank (R.I.P.)!

"Me diz, por que que o céu é azul?
Explica a grande fúria do mundo"

- Vai me dizer que você nunca se perguntou isso? Talvez não tenha falado com ninguém por vergonha... Ou talvez tenha vivido como muitos ainda vivem sem questionar nada...

"São meus filhos
Que tomam conta de mim"

- Pensei nesse trecho, como um pai bem velhinho, num asilo talvez, abandonado por seus filhos, mas que ainda acredita neles e reforça isso para si...

"Eu moro com a minha mãe
Mas meu pai vem me visitar
Eu moro na rua, não tenho ninguém
Eu moro em qualquer lugar

Já morei em tanta casa
Que nem me lembro mais
Eu moro com os meus pais"

- Leio este trecho como frases isoladas. Vindas de diversas pessoas. Por que no meio dos amigos, sempre temos aqueles que moram sozinhos, entre tantas histórias... Histórias essas que por vezes são escondidas, esquecidas e desprezadas por nós...

"Sou uma gota d'água
Sou um grão de areia"

- Aqui vejo o reconhecimento de quem realmente somos. Por vezes, achamos que somos muita coisa, mas na verdade somos 1 em meio a muitos. Precisamos reconhecer que somos feitos da mesma matéria. Iguais diante de Deus.

"Você me diz que seus pais não te entendem
Mas você não entende seus pais
Você culpa seus pais por tudo, isso é absurdo
São crianças como você
O que você vai ser quando você crescer?"

- Os primeiros versos desta parte, me marcaram muito. Meu Deus... Temos a tendência de sempre por a culpa em alguém. Somos tão 'cegos' (metaforicamente falando) que não conseguimos enxergar que o erro pode estar dentro de nós? Até onde devemos levar e alimentar a soberba e o orgulho?

Pai, mãe, irmão... peço perdão pelo meu relapso. A culpa nunca foi de vocês. Sempre foi minha que inverti as prioridades. Dei valor a quem não merecia, talvez até merecesse, mas somente seria objetiva se a honra começasse com vocês, dentro de casa. Talvez essas palavras sejam apenas um discurso vazio, mas acreditem: Está gerando dentro de mim uma revolução. Espero que seja a revolução do amor. A Revolução de Jesus!

"Amar não é só dizer que se ama.
Amar não é só abraço.
Amar não é só mão na mão.
Amar não são beijos.

Amar é:
Eu me preocupo com você.
Eu me importo com você.
Eu ajudo você.
O que você precisa?"



"Mamãe, eu e papai!"

6 comentários:

  1. não tem como não se emocionar com esse texto e análise fabulosa que você fez meu caro. Sensacional !!! em meio a lágrimas te digo que é a melhor análise de um texto do grande Renato Russo que ja ví. E ainda faço um convite para junto com você tocarmos esta e outras canções do Legião. Parabéns, fantástico e emocionante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho pensado nisso também man! Cantar aquilo que sentimos, vivemos e desejamos. Cantar uma verdade, não algo para animar alguém... Se é que me entende? Estamos alinhados em nossos sonhos man! E não faz mais isso, se não quem vai chorar sou eu! ;)

      Excluir
  2. Caramba, Zhé, realmente, foi profundo! Também me emocionei! Nunca tinha pensado na música dessa forma, nunca a tinha compreendido assim! Obrigado por um post tão maravilhoso! =D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado man! Passei por uma situação muito inspiradora. Difícil, mas foi muito importante.

      Excluir
  3. Alguns trechos eu interpretava diferente, curti muiti a sua.

    Essa musica é linda, mostra conflitos, dificuldades e o romance paternal.

    ResponderExcluir